• 22
  • agosto

Como fazer um bom PLANEJAMENTO DE MARKETING DE CONTEÚDO

O marketing de conteúdo já faz um tempo que se tornou uma importante ferramenta na estratégia de divulgação de uma marca e para vendas de produtos e serviços online. O mercado começou a entender que seus consumidores podem se tornar  “amigos da marca” antes mesmo de virarem clientes dela. Esse entendimento faz aumentar a necessidade e os investimentos em marketing de conteúdo.

Mas para essa proximidade do consumidor com a marca acontecer é preciso fazer com que haja uma relação próxima e de confiança, ou seja, é preciso criar um bom RELACIONAMENTO COM A MARCA. Desta forma, gerar conteúdo relevante para que o consumidor possa avaliar melhor a credibilidade da marca, se tornou indispensável. As mídias sociais são canais fundamentais para implementação dessa estratégia de conteúdo, porém, outros canais precisam ser trabalhados em conjunto. Sendo assim, é muito importante que o departamento de marketing e de vendas possam se entender para conseguirem alinhar o planejamento com o objetivo de aumentar suas conversões.

Conhecer bem os pontos do seu funil de vendas será bem importante para traçar uma boa estratégia. Mas falaremos sobre funil de vendas e jornada do consumidor em uma outra oportunidade. No momento, vamos pensar de um modo geral como montar seu planejamento.

Vamos ver agora alguns passos para elaborar um plano de marketing de conteúdo utilizando, principalmente, as mídias sociais e seu blog institucional. Conceitualmente, não é muito diferente de um plano tradicional de marketing, mas é claro que se tratando de conteúdo e redes sociais, vamos ter que adaptá-lo e relacionar os principais pontos durante o processo.

1 –OBJETIVO de um plano de comunicação

Tudo começa no seu objetivo, pois de nada adianta uma divulgação se você não sabe pra onde quer levar a sua empresa. É preciso decidir o que se deseja, para conseguir com uma boa ação! Parece óbvio, não é? Mas nem sempre é tão simples assim! Então, é importante definir se o objetivo de sua empresa será fortalecer a marca (Branding), trazer mais seguidores (atrair visitantes/follows), gerar cadastros (leads), gerar vendas de um determinado produto (conversão), “viralizar” alguma ideia ou alavancar alguma ação específica (divulgação). É claro, você pode me dizer que quer tudo isso, mas é preciso traçar o tipo de objetivo, definir prioridades e entender onde se quer chegar com o plano. Lembre-se que as vezes você tem que subir uma “escada de objetivos”, logo, se sua empresa quer aumentar as vendas através do seu site por exemplo, precisará primeiro tornar sua marca conhecida e atrair visitantes.

E quanto mais complexo for seu objetivo, dependendo do estágio organizacional da sua estratégia de marketing e vendas em que sua empresa se encontra, maior será a necessidade de um aprofundamento do seu planejamento.

2 – PÚBLICO-ALVO (BUYERS PERSONAS)

É preciso conhecer bem o público que se deseja atingir para poder escolher o tipo de linguagem que será adotada e quais os tipos de canais de relacionamento serão utilizados. Lembre-se, mesmo que você conheça bem seu público, dentro deles podem haver segmentações quando se trata de diferentes tipos de pessoas. É por isso que normalmente, para um plano de comunicação, nós precisamos “personificar” seu público-alvo em diferentes personagens (as Buyers Personas), que nos ajudam a identificar as diferentes características que cada pessoa que se encaixa em seu público-alvo pode ter. Dessa forma, conseguimos adaptar nossa estratégia para criar a linguagem certa para que cada “Persona” dentro do nosso público-alvo possa se identificar com nossa linguagem e assim assimilar melhor as informações que precisamos passar.

3 – LINGUAGEM

Depois de conhecer o público e suas personas, compreendendo-o melhor, será necessário estudar que tipo de linguagem será adequada para conseguir “conversar”com ele. Avaliar se serão usadas mensagens mais descontraídas ou se manterão uma linha mais conservadora, por exemplo. Sua mensagem vai se adequar mais a que tipo de tecnologia? Vai usar texto, áudio ou vídeo? Seu público vai assimilar seu conteúdo se ele for entregue em um determinado tipo de canal? Cada um deles precisará de uma linguagem diferente para a produção do conteúdo, portanto, é preciso pensar nisso com bastante cuidado e estudar a melhor forma de criar uma IDENTIDADE VERBAL para sua marca e definir os canais certos para encontrar suas personas.

4 – CONTEÚDO

Depois de escolher a linguagem, é importante saber o que vai ser divulgado. O conteúdo, obviamente, é a parte mais importante do planejamento. Quando bem elaborado, ele permitirá que o canal de relacionamento com o usuário se solidifique. Pense em um conteúdo autêntico, apresentado de forma inovadora e sendo fiel à linguagem de suas personas e do conceito de sua marca. Não invente! Seja apenas sincero, real e busque sempre a relevância no que for apresentado. Pense que é preciso agregar algo para a vida da pessoa que está “consumindo” seu conteúdo para que gere engajamento e, em muitas vezes, consiga um poder viral para desenvolver um bom engajamento. Com a relevância em seu conteúdo, é possível atrair mais usuários (e futuros clientes) de forma orgânica para seus canais, dessa forma, você poderá a longo prazo diminuir o custo de aquisição para sua empresa, pois poderá concentrar melhor seus esforços de mídia paga, otimizando e investindo apenas para momentos de fundo de funil por exemplo, onde as oportunidades de conversão são maiores. Não esqueça de pensar sempre em SEO para seus textos, nas hashtags certas em caso de utilização de determinadas redes sociais e de outras particularidades necessárias na hora da distribuição do seu conteúdo.

5 – DISTRIBUIÇÃO

É preciso analisar e compreender os canais e ferramentas que você vai utilizar para realizar a distruibuição de seu conteúdo. Depois que suas personas já foram identificadas é preciso identificar onde elas estão e qual a melhor forma de levar seu conteúdo até elas. Não podemos apenas esperar o público, é preciso colocar um alvo nele e ir atrás. A empresa deve ir onde o consumidor está. O conteúdo precisa ser levado através do canal correto para se tornar ativo. Portanto, se você vai escrever um blog, produzir um vídeo, postar em redes sociais, criar infográficos, gerar e-books, transmitir webinars ou criar uma estratégia de e-mail marketing, não deixe de compreender bem a ferramenta escolhida, estude-a e aproveite ao máximo o que elas podem oferecer, desde sistemas de automação a de gestão de informações e métricas, inclusive no que se trata do feedback de seus seguidores, para encontrar o melhor jeito pra fazer essa distribuição. Estudando os formatos e as ferramentas certas, é possível criar uma estratégia de inbound marketing bem eficiente para atrair seguidores para sua marca, transformá-los em clientes e posteriormente em divulgadores de seus produtos.

6 – CONVERGÊNCIA

Planeje e integre os canais e/ou ferramentas, caso identifique a necessidade de usar mais de um canal para divulgar a ação. É importante que você pense em transmídia. Algumas campanhas usam muito bem o formato “transmidia storytelling”. Ele permite que os usuários sejam envolvidos de todas as formas, em vários canais, pela história da sua marca. Um marketing 360º aplicado a sua estratégia de conteúdo pode aumentar seu alcance, atingir pessoas que nem imaginavam conhecerem as soluções sua empresa está oferecendo e que você sequer pensou algum dia que poderiam ser impactadas. Essas pessoas podem estar procurando soluções nos lugares errados e cabe a sua estratégia de conteúdo fazer com que elas venham para o caminho certo, ou seja, o caminho que irá levá-las até a sua empresa.

7 –RELACIONAMENTO

Tenha sempre em mente uma forma de manter o canal aberto para receber feedback do consumidor e sempre responda-o. Sempre mesmo! É preciso lembrar que um dos principais objetivos é criar “defensores da marca” e nossos defensores precisam ter todas as suas dúvidas respondidas, precisam conhecer a marca a fundo. Inclusive as críticas mais severas precisarão ser respondidas com toda atenção, fazendo com que elas ajudem sua empresa a melhorar e com que aqueles que o criticaram, possam perceber que foram ouvidos e que as melhorias realmente aconteceram. Um crítico severo bem respondido, pode se transformar num poderoso defensor da marca. Todos gostam de ser bem tratados e de se sentirem diferentes e únicos. Faça com que cada usuário/seguidor da marca se sinta assim. O mais importante é sempre buscar engajamento e cativar seus seguidores fiéis. Lembre-se que o mundo é feito de pessoas e por isso é bom aplicar o conceito de human marketing, quando pensamos nossas estratégias com foco nas pessoas, humanizando a marca para poder criar um relacionamento melhor com seus seguidores.

8 – Benchmarking

É interessante entender o que seu concorrente está fazendo e estar um passo à frente. A velha e boa análise SWOT para avaliar ameaças e oportunidades precisará ser bem feita nesse estágio do planejamento. Inovar e buscar meios é imprescindível para que o canal interativo de relacionamento que você criou seja eficaz. Observe também empresas de outros segmentos que estejam fazendo um bom trabalho em suas estratégias, pois isso poderá ajudar a construir um bom plano, gerar insights e fornecer base para uma construção da sua comunicação própria, inovadora e personalizada.

9 – Cronograma

É muito importante manter um cronograma para que todos os processos sejam realizados no tempo certo. Será preciso definir e seguir a risca a periodicidade para alimentar com conteúdo os canais que estão sendo utilizados. A periodicidade é um dos principais pontos de um planejamento de marketing de conteúdo e cada canal tem a necessidade de uma periodicidade certa. Um estratégia de conteúdo é feita de construção a médio e longo prazo, o público precisa se acostumar a encontrar o seu conteúdo no tempo certo e nos locais certos. Crie uma agenda de publicação, pense nos temas e pautas com antecedência, fique de olho nos assuntos do momento e nas datas sazonais, para que assim seu cronograma fique alinhado com o que seu público está buscando de informação.

10 – Monitoramento

Toda ação precisa de dados estatísticos de seus resultados para não correr o risco de ir em uma direção estratégica errada. Não adianta postar fotos bonitinhas se não souber o resultados que elas vão trazer para o seu objetivo. Descobrir rápido os problemas, significa poder solucioná-los mais rápido ainda. Entender o efeito que seu conteúdo está causando no comportamento e no relacionamento do consumidor com a marca é o objetivo principal na fase de monitoramento. Para isso, é importante estipular KPI`s para se traçar um direcionamento certo em busca dos objetivos primários da marca. Analisando, você conseguirá avaliar se deve manter ou não determinada estratégia, se pode repetir determinados temas, como pode gerar inspiração, credibilidade e conversão com o conteúdo certo.

 

Espero que essas pequenas dicas sobre um plano de marketing de conteúdo ajudem a trazer mais resultados para sua empresa. Mesmo parecendo óbvias, nem sempre são seguidas ou observadas na hora de fazer um planejamento. Aliás, algumas empresas acham que nem é preciso realizar um plano tão aprofundado assim para conteúdo. Não ache que basta sair escrevendo qualquer coisa por aí e esperar que vai ganhar alguns “likes” a mais.

Bom, nossa última dica é: faça seu planejamento e fique à frente das empresas que não dão importância a ele.


CURTIU?!
Se quiser bater um papo ou tomar um café para falar sobre ideias inovadoras para sua empresa. FALE CONOSCO e vamos ter o prazer de ajudar e compartilhar nossas experiências!

Não esqueça de nos seguir em nossas redes sociais!   

Deixe aqui seu comentário

AUTOR - Consultor de Marketing, empreendedor e CEO da intripADS. Está no mercado digital desde 2002. Com experiência em planejamento, inbound, branding, comunicação e vendas. É autor dos blogs da intripADS e INTRIP.com.br

Related Posts